18 de jun de 2011

Nosso Primeiro Filme - Um Amor Para Recordar

Hoje acordei me lembrando do 1º filme que assistimos.

Foi em 2005, comecinho do namoro e ela ainda morava na república dos Castelinho ( ou pensão como diria Dona Silvia ) .

Acho que foi a primeira vez que nos encontramos em um dia em que não havia aula na facul. Ela estava com um calça preta e uma blusa metade azul e a outra metade preta. Ela estava toda produzida.. linda!!! 

Estava meio frio, chovendo...

O nosso primeiro filme foi "Um Amor Para Recordar".


Clipe com cenas do filme:

12 de jun de 2011

Quando ela se tornou a mulher da minha vida

Em homenagem ao dia dos namorados (o último que a distância vai nos atrapalhar) resolvi postar sobre o dia em tive certeza que a Fabiene não era apenas uma namorada, mas sim uma pessoa que eu queria que estivesse para sempre comigo.




Lógico que existem muitas razões, vários momentos e coisas que fazem com que a gente tenha certeza que um relacionamento não é passageiro, mas às vezes basta um gesto ou palavras para que esta certeza aumente.

Foi no mês de abril de 2006.

No último ano da faculdade o nosso grupo de teatro, Os Astronautas, foi convidado para fazer uma apresentação especial para uma rede mercenária de televisão católica e isso não foi nada legal, pois a tal emissora não nos tratou nada bem e não reconheceu que fazíamos um favor para a faculdade.

Enfim, fiquei muito mal com isso, por mim e pelos meus amigos. Eu me lembro que nem aula consegui assistir e neste momento, falei para ela que não queria mais saber de grupo de teatro, de projetos e que o meu erro era querer abraçar o mundo. Neste momento ela me acalmou e me fez entender um pouco quem eu sou, ao me dizer que acontecesse o que acontecesse era do meu perfil querer abraçar o mundo, mesmo quando meus braços ficavam curtos demais para tudo que eu gostaria de fazer e que me admirava por isso.




Acho que eu não preciso dizer muita coisa, pois eu continuando querendo abraçar o mundo, mas agora em sala de aula como professor e o que me dá muita segurança em continuar sendo quem eu sou é o fato de saber que tem alguém que me entende e que me ajuda a esticar os braços. Sei que não deve ser fácil, mas obrigado por estar comigo!

Mor, te amo forevis! Para você: